SETE AVÓS DE SANTARÉM JUNTARAM-SE A CLÁUDIA ANDRADE PARA INTERPRETAR “PARA VÓS”

Paulo Araujo 8 Junho, 2019 0
SETE AVÓS DE SANTARÉM JUNTARAM-SE A CLÁUDIA ANDRADE PARA INTERPRETAR “PARA VÓS”

“Para Vós”, uma história biográfica criada por Cláudia
Andrade e habitada por moradores locais, dos sítios por onde passa, foi, desta
vez, apresentada em Santarém, com a participação de sete mulheres daquela comunidade.
O Teatro Sá da Bandeira encheu a plateia, especialmente criada para o espetáculo.

“Para Vós” é um espetáculo sobre memória. Sobre as memórias
das avós e as memórias de Cláudia Andrade sobre as suas avós. É também uma
homenagem às mulheres. Para vós é um solo, sem que o seja realmente. Porque, na
sua interpretação, Cláudia Andrade não está completamente sozinha. Em cena
estão também sete mulheres, sete avós de Santarém, que funcionam como um coro,
ao jeito da tragédia clássica. As suas vozes – e as suas memórias – juntam-se à
da criadora, em resultado de um processo de dois momentos de residência.

Cláudia Andrade criou o projeto a partir de uma busca ao
passado, através de entrevistas à sua família e a procura de saber mais sobre a
vida das pessoas da sua família. Por cada lugar que passa, Cláudia Andrade
procura a colaboração de locais e trabalha com os mesmos umas semanas antes do espetáculo,
“há sempre uma cena que é criada desde raiz, que é feita a partir das memórias
das mulheres que estão comigo”.

Na interpretação de Para Vós, Cláudia Andrade esteve
acompanhada em cena por sete mulheres da comunidade Ana Bela Bentinho, Ana
Paula Miranda, Fátima Venceslau, Gué, Inês Cunha, Conceição Resende e Margarida
Loureiro, algumas alunas da disciplina de Teatro da UTIS – Universidade de
Terceira Idade de Santarém.

Este espetáculo que tocou as nossas emoções, trouxe à
memória de todos, os que assistiram e de quem estava em cena, a memória dos
seus avós, para eles e para todo os outros que ainda vivem das lembranças do
passado. Para Vós é sobre os meandros da memória. Sobre as memórias das avós da
criadora ou mais exatamente sobre a sua memória das memórias delas. Dedicado
aos avós e às vozes das nossas raízes. Sobre a voz humana que é ancestral.
Sobre histórias de outros tempos que não estão escritas nos livros, mas
semienterradas em algum lugar recôndito da nossa memória. Sobre o que é
intemporal. Sobre os mistérios do sangue.

www.autopecas24.pt Gina Morais Riografica

Comentar »

Deve iniciar sessão para comentar.